sábado, 14 de março de 2015

Homo sapiens litteratus.

Basicamente a vida é um processo químico em constante transformação. Enquanto os outros animais dispõem de meios de defesa, tais como: garras, chifres, agilidade, asas, força, velocidade, peçonha, etc. O ser humano tem como arma de defesa a inteligência. Através da inteligência chegamos à linguagem, às grandes invenções e destruições. Somos simples mortais, disfarçados em seres divinos. Vivemos agredindo a Natureza e seremos dizimados com ela. O processo de vida na Terra foi tão complexo e singular...que não creio possa ele ter  ocorrido em outros planetas. Não existem extraterrestres. Estamos sozinhos! 
Nunca existiram tantas informações através da Internet e outros veículos de comunicação, tanta liberdade de expressão, tantos cultos diversificados, tantas escolas, tantas facilidades, etc.Todavia nunca se viu tanta corrupção, tanta destruição, tanta crueldade, tanto desrespeito, tanta falta de solidariedade, tanto desamor...Paradoxo? Não. Incapacidade dos educadores; influência nefasta e virulenta dos meios de comunicação; excesso de liberdade dos pais, isolamento da vizinhança; perda de sensibilidade, enfim...perda total de valores. Os seres humanos estão de volta a suas antigas origens: primata Pithecanthropus erectus “litteratus."O ser humano aprendeu a ler e a escrever, mas perdeu o respeito por si mesmo, pelos seus semelhantes e dessemelhantes, pela Natureza e, lamentavelmente, perdeu a capacidade de amar.” Nelson Barh.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Mulher-terra!

Achava que a mulher era uma flor por sua beleza, perfume e sedução, depois percebi ser ela  uma árvore frondosa por seus belos frutos e proteção. Mais tarde, entendi  ser ela a própria  terra viçosa, geradora de vidas e, então, descobri que não existe mulher feia, todas são bonitas, guerreiras e vencedoras... pelo único fato de ser mulher.Nelson Barh. 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Destino


quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Admiração e adoração

Posso admirar alguém ou algo pela sua extraordinária superioridade diante do conjunto das pessoas e das coisas, mas para adorá-las, faz-se necessário que a admiração atinja o grau máximo e adquira um aspecto divinal. 
A adoração excede a admiração e paira além do sublime.Nelson Barh

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

O jogo político

A verdade sem simulacro.
 A disputa política é um jogo e os candidatos são os competidores.  Eles falam o que o povo quer ouvir, prometem tudo fazer; se digladiam como inimigos e na verdade são amigos. Não  existe quem seja melhor ou pior; todos  apenas ambicionam  chegar ao poder. E o povo ingênuo que é usado, para seus intentos, como massa de manobra, toma preferência, veste a camisa, batalha às cegas  por eles, e a mesmice continua... Nelson Barh 

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Armadilha

A Natureza privilegiou os homens e ardilosamente  tiranizou as mulheres. O sublime ato do parto, após meses de gestação, é marcado pela dor, em seguida vêm os cuidados especiais,  a difícil  proteção, a eterna preocupação e, assim, surge o mais perfeito e deslumbrante amor e, então, as mulheres acreditam que, aquela doce criatura, seja apenas sua e de mais ninguém. Puro engano! Tudo ocorre em prol da continuidade da espécie.Nelson Barh 

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

"Arte Menor"

Na minha opinião, atualmente, a arte de representar ocupa a posição de “arte menor”.Atravessa um profundo declínio e dificilmente conseguirá reerguer-se. 
É bem verdade que, nos seus primórdios, as encenações eram feitas por religiosos e simples camponeses, ou seja, gente amadora que possuía pouco ou nenhum conhecimento da arte teatral; todavia, em seguida, surgiram atores com comprovada habilidade cênica. Nos dias atuais, houve um retrocesso, voltamos ao ponto inicial, qualquer canastrão consegue atuar grotescamente e receber a chancela de ator profissional. É profundamente lamentável! Nelson Barh